9º Curta Santos recebe inscrições a partir de hoje

Consolidado como um dos importantes eventos dedicados ao audiovisual do país, tendo inclusive superado a marca de 1 milhão de espectadores em suas duas últimas edições, o Curta Santos – Festival Santista de Curtas Metragens  abre inscrições para sua 9ª edição nesta segunda-feira, 2 de maio, por meio do sitewww.curtasantos.com.br.
O tema deste ano é “Para Todas as Mulheres do Mundo” e os realizadores podem inscrever seus filmes – com até 20 minutos de duração – em quatro mostras competitivas: Olhar Brasilis, Videoclipe Brasilis, Olhar Caiçara e Videoclipe Brasilis.
As duas primeiras tem abrangência nacional e reunirão, respectivamente, os melhores curtas produzidos recentemente e os melhores videoclipes, independente da data de realização. Já as duas últimas seguem o mesmo formato, mas são restritas à produção regional, do litoral de São Paulo.
O Tema. Desde seu surgimento, o cinema retratou a mulher de forma especial. No início, como fetiche do mundo masculino: fatal, heroína, devoradora de homens. Depois, a figura feminina emancipou-se e passou a buscar seu espaço próprio. Assim, o Festival pretende homenagear “todas as mulheres do mundo”: das atrizes às filósofas, das pensadoras às operárias, do planeta Terra à Mãe Natureza.
O verde é a cor da nona edição e, por meio dele, o Festival abre mais um assunto para reflexão: a sustentabilidade. Desta vez, partindo do princípio do “olhar feminino”, pretende trabalhar a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável por intermédio do audiovisual. O subtema visa aguçar a discussão sobre o crescimento econômico prejudicial ao meio ambiente – e incentivar a participação ativa do público em ações que zelam pelo futuro da região e do planeta.
O Festival. O 9º Curta Santos será realizado no mês de setembro e contará com cinco dias de programação totalmente gratuita. Além de romper paradigmas, rever conceitos e estimular novos caminhos para o audiovisual – premissas adotadas desde a primeira edição –, o Festival tem como objetivo fundamental oferecer ao público sessões de curtas, médias e longas-metragens (os dois últimos, em mostras não-competitivas) com produções de qualidade, que estão fora do circuito comercial. Mesas redondas, oficinas e debates com profissionais da área sustentam a proposta.
Em oito anos de trajetória, o Festival já contou com a participação de grandes nomes do cinema nacional, como José Wilker, Matheus Nachtergaele, Paulo César Pereio, Paulo José, Ney Latorraca, Ana Lucia Torre, Dira Paes, Betty Faria, Leona Cavali, Sergio Mamberti, Bete Mendes e Eva Wilma, além de cineastas como Carlos Manga, Carla Camurati, Zita Carvalhosa, Eliane Caffé, Ewaldo Mocarzel, Jose Mojica Marins, Beto Brant, Lírio Ferreira, Carlos Reichenbach, Allan Fresnot, Tata Amaral, Allan Sieber e Toni Venturi, dentre outros.
A direção geral do 9º Curta Santos é de Ricardo Vasconcellos, com direção de produção deJunior Brassalotti. Os dois estiveram ao lado do diretor Toninho Dantas (1948-2010) desde as primeiras edições do evento, contribuindo decisivamente para seu reconhecimento em âmbito regional e nacional. A direção de mostras é assinada por Tássia Albino e Rodrigo Zerbetto Chehda, a  produção.
Anúncios

Resenha: O que tera Acontecido a Rosemary? Por Ademir Demarchi

Caros, segue abaixo comentário sobre peça em cartaz em Santos, inclusive com partipantes do nosso movimento, que aqui posto com a intenção de reflexão sobre o que é feito por nós.

O que terá acontecido a Rosemary? – a peça

Sem pretensões de discussões estéticas e motivações que não as de divertir, essa peça tem cumprido um importante papel de formação de público e está se mantendo em cartaz na região de Santos com dezenas de apresentações cumprindo seu objetivo de divertir. O sucesso da montagem ressalta também o trabalho da companhia Casa3deArtes que já tem 8 anos e dezenas de produções.

A peça é engraçada, com a ótima performance dos 3 atores que a mantêm no palco e tem conquistado o público com a receita antiga de travestimento de homens em papeis femininos, uso dos clichês e estereótipos da cultura de massa, sobretudo cinema, cujas divas inspiram a produção.

Se a peça não tem pretensões de discussão estética, tem sim demonstradas preocupações com a técnica: a engraçada trilha sonora feita por Nívio Motta, o apurado figurino de Kadu Veríssimo, também autor do texto e ator juntamente com Junior Brassalotti e Luiz Fernando Almeida, a maquiagem superlativa que ressalta o histrionismo bufão dos atores, feita por Fernando Pompeu, técnicas de circo na encenação, projeção de cinema mesclando-se com o teatro na iluminação de André Leahun e Marcelo Wallez e a direção competente de André Leahun.

O texto é uma assumida paródia dos filmes clássicos ‘O Que Terá Acontecido a Baby Jane’ e ‘A Malvada’, em que despontam Bette Davis, Joan Crawford e Anne Baxter, com amplo destaque para as malvadas personificadas por Bette Davis que “baixa” em Junior Brassalotti como uma estátua que mira o céu como um espelho em que se vê.

Brassalotti é doce, a maldade parece não caber em sua prática, além disso como a peça se assume como clichê do clichê, não há mais necessidade de impingir maldade na personificação desse eco de Bette Davis. Por isso Brassalotti, nessa peça, quando mira o infinito em um de seus figurinos de vestidos longos em que tão bem cabe transcende Bette Davis para, por instantes, se tornar uma espécie de estátua grega.

Já Kadu Veríssimo é o escracho total e sua personificação diz tanto ao público que a peça faz questão de explorar momentos solo como se tudo fosse uma jam session em que os risos se amplificam quando isso acontece.

Luiz Fernando Almeida como mãe, secretária e empregada da malvada rouba a cena em vários momentos com suas caras impagáveis, exaltadas pela eficiente maquiagem, uma delas em que parece um peixe balofo a ponto de nem mais enxergarmos seu corpo por estar a cara toda dentro da água do aquário patético que ele sugere encenar.

O argumento teve como base de pesquisa o denominado “teatro besteirol”, que fez 30 anos de existência em 2010 depois de ter sido criado no Rio de Janeiro, justamente inspirado nas produções hollywwodianas e nas antigas chanchadas do cinema brasileiro, assim como nos programas de auditório. Dos dois filmes citados, se fundem em três personagens da peça duas irmãs que se odeiam, Rosy e Betty Blue, mais a mãe, que são suficientes para construir esse texto em que a busca da fama e do sucesso moldam os personagens para dar base para o ridículo humano que se transforma em riso.

Outra das receitas do sucesso da peça é a referência constante a locais, pessoas da cidade e fatos recentes e conhecidos por todos, que são citados e ridicularizados com censo de humor irônico nos delírios das personagens. Isso garante o riso e uma intimidade com o público que aproxima atores e espectadores.

Não pude assistir às apresentações no foyer do Teatro Municipal, onde tenho certeza que a peça teve seu melhor momento, incorporando a improvisação e a proximidade com o público para obter seus melhores resultados de animação e riso. A apresentação no palco do Teatro Municipal, neste fim de semana, por isso, perdeu um pouco desse encanto dado o tamanho do palco e a distância da platéia, tendo momentos que parecia se arrastar, o que sugere que essa peça é indicada para espaços pequenos para obter o melhor aproveitamento conseguido com a proximidade do público.

Ademir Demarchi – Santos, 27/3/2011

 

O que tera Acontecido a Rosemary? Volta aos Palcos

 

Tendo como fio condutor uma paródia dos clássicos filmes ‘O Que Terá Acontecido a Baby Jane’ e ‘A Malvada’, o espetáculo está calcado na interpretação dos atores, onde há o resgate do humor popular com uma embalagem cênica moderna.

 

Com inspiração nas antigas chanchadas do cinema brasileiro, nos programas de auditório, no besteirol  e nos espetáculos de circo, mostra o embate entre duas irmãs: Rosy e Betty Blue, suas aventuras e desventuras em busca da fama, sucesso e reconhecimento.

 

Recheado de clichês, melodrama rasgado e assumido, paródias e citações de diversas obras que compõe o universo do besteirol brasileiro, o espetáculo é a nossa justa homenagem a este gênero tão amado e odiado .

 

 

Ficha técnica

Texto: Kadu Veríssimo

 

Direção: André Leahun

 

Elenco: Kadu Veríssimo, Junior Brassalotti e Luiz Fernando Almeida


Realização:

Casa 3 de Artes – Co Produção: A Confraria Produções Artísticas e Superbacana Produções

 

 

Serviço:
O Que Terá Acontecido a Rosemary?

Em Santos:
Quando: Sexta-feira, 25 de Março, às 21h
Onde: Teatro Municipal de Santos – Avenida Pinheiro Machado, 48- Vila Mathias – 13 3226-8000
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Em Cubatão:
Quando: Sábado, 26 de Março, às 21h / Domingo, 27 de Março, às 20h
Onde: Teatro do Kaos – Praça Cel. Joaquim Montenegro, 34 – Lago do Sapo – 13 3272-7211
Entrada franca

Espetáculo viabilizado pelo Projeto Superação patrocinado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania.

Auto de Natal da Lapa será apresentado na Barca da Cultura e no Outeiro Santa Catarina no mês de Dezembro.

 

 

Baseado na primeira parte do clássico texto O Mártir do Calvário de Eduardo Garrido, este Auto de Natal enfoca de maneira moderna as tradições populares brasileiras de Natal, trazendo a tona o universo dos Pastoris, Lapinhas e Presépios.

Com doze músicas, que vão desde clássicos como Adeste Fidelis, passando por canções tradicionais de folias de reis e pastoris, e populares como José, gravada pelo grupo Mutantes o espetáculo utiliza-se ainda da linguagem do circo teatro para uma comunicabilidade direta para com a platéia.

A Direção é de André Leahun. No elenco: Luiz Fernando Almeida, Junior Brassalotti, Sidney Perez, Daniel Meirelis, Caio Marques, Ricardo Menezes, Danielle Coelho, Kátia Balliano, Paula Albuquerque, Priscila Calazans, Márcia Marques e Ludine Medeiros.

O Espetáculo será apresentado dentro do projeto Barca da Cultura, no dia 05 de dezembro nos seguintes locais: Ilha Diana, Monte Cabrão e Caruara. E no dia 10 de dezembro no Outeiro de Santa Catarina.

Entrada Franca

O que terá Acontecido a Rosemary se apresenta no Teatro Procópio Ferreira, dia 02.11, no encerramento do VIII FECASTRE

Tendo como fio condutor uma paródia dos clássicos filmes ‘O Que Terá Acontecido a Baby Jane’ e ‘A Malvada’, o espetáculo está calcado na interpretação dos atores, onde há o resgate do humor popular com uma embalagem cênica moderna.

Com inspiração nas antigas chanchadas do cinema brasileiro, nos programas de auditório, no besteirol e nos espetáculos de circo, mostra o embate entre duas irmãs: Rosy e Betty Blue, suas aventuras e desventuras em busca da fama, sucesso e reconhecimento.

Recheado de clichês, melodrama rasgado e assumido, paródias e citações de diversas obras que compõe o universo do besteirol brasileiro, o espetáculo é a nossa justa homenagem a este gênero tão amado e odiado que neste ano de 2010, completa 30 anos.

Teaser do espetaculo no Youtube

Blog do Espetaculo

Ficha técnica

Texto: Kadu Veríssimo

Direção: André Leahun

Elenco: Kadu Veríssimo, Junior Brassalotti e Luiz Fernando Almeida

Realização:

Casa 3 de Artes – Co Produção: A Confraria Produções Artisticas e Superbacana Produções

Serviço

Teatro Procopio Ferreira- Guarujá
Ingressos R$5,00 de entrada.
Av. D Pedro I, 350 – Guarujá – SP – (0xx)13 3386-8987

Vai perder?

O que tera acontecido a Rosemary? Estreia 07 de Agosto

Agora e Oficial: O Espetaculo “O que tera Acontecido a Rosemary?” estreia dia 07 de Agosto no Teatro Municipal de Santos e fica em cartaz aos Sabados e Domingos as 21h ate o final de Setembro.
Estou atras de patrocinadores e ou apoiadores se alguem souber ou puder, entre em contato que envio o projeto.

O QUE TERÁ ACONTECIDO A ROSEMARY?

O que terá acontecido a Rosemary?

Teaser do meu novo espetaculo “O que terá acontecido a Rosemary?” Estréia em breve. Aguardem mais informaçoes.