SANSEX- Entrevista | ‘Leve-me para sair’ com o Coletivo Lumika

 

O mundo está mudando pra melhor? Ser gay pode estar se tornando um traço de personalidade como outro qualquer, como ser moreno, gostar de rock ou saber imitar aquele apresentador engraçado da TV. ‘Leve-me pra sair’ retrata um grupo de adolescentes gays de São Paulo e suas visões de mundo. Os depoimentos de 10 jovens entre 16 e 18 anos chamam atenção para diferentes questões sobre identidade, sexualidade e preconceito.

O filme é assinado pelo Coletivo Lumika, que se inspirou nos crescimento do número de jovens assumidamente homossexuais e ao mesmo tempo da alta taxa de casos de homofobia. A obra foi financiada pelo ProAC e sua realização durou cerca de 11 meses: desde a pesquisa e pré-entrevistas da equipe até a edição final. E ainda renderá mais conteúdo. “O que não entrou no filme vai virar uma micro-série que será exibida no canal do Coletivo no Youtube”.

Produzido pelo Coletivo Lumika, o curta-metragem será exibido na noite de sábado 1º/dez, às 23h, no Quiosque da Cris (Praia do Itararé/São Vicente). Aliás, o coletivo foi criado em 2011 em trabalhos dos cursos de Audiovisual e Design do Centro Universitário Senac com o objetivo de estudar e difundir a linguagem audiovisual. Desenvolvendo, principalmente, produções que despertem o interesse do público jovem. Confira a entrevista com a equipe:

1) Pode-se citar qual do depoimento dos entrevistados mais lhe chamou a atenção? Todos foram bastante específicos, o que faz com que cada um tenha um discurso bem único. Todos tiveram suas formas de se expor em frente a uma câmera. Não conseguimos determinar um que chamou mais a atenção, mas sim como o conjunto chamou, o quanto são maduros e com clareza de pensamento com a idade que tem. Isso é uma coisa que nos marcou muito. Tem uns três pensamentos que é desenvolvido ao longo do filme que são bem interessantes e fortes:

a) Às vezes parece que… só quem é homossexual tem sexualidade. Porque (…) eu nunca ouvi alguém perguntar da sexualidade de alguém para um heterossexual, por exemplo; b) Homofobia é (…) um ódio, pra mim, assim, na minha concepção de o que é homofobia, é… ela tá muito ligada com o machismo sim; c) Eu fiz uma decisão comigo mesma que eu não teria medo dessas coisas, porque me recuso a ter essa vida privada (…) por causa do medo.

2) Na sua visão, quais seriam as diferenças no cotidiano dos jovens gays e dos jovens heterossexuais? Nossa sociedade está acostumada a criar crianças para serem heterossexuais, quando elas notam que não “pertencem” a esse tipo de vida, elas normalmente passam por um processo de reflexão, amadurecimento, autoconhecimento, que muitas vezes jovens heterossexuais não passam ou demoram mais a passar. Existem muitas outras diferenças nessas reflexões que podem mudar o cotidiano dessas pessoas, como se relacionar com outras pessoas por exemplo. Como relacionar essa cultura heterossexual com a maneira de agir/comportar, entre outras coisas.

Um reflexo para isso é que atualmente cremos que até existam lugares para público homossexual, ou onde eles possam se sentir mais livres de transitarem como quiserem; gostos musicais; estilo de roupa, entre outros, sem generalizar é claro. Essa “cultura gay” é bem forte entre os jovens e acaba por muitas vezes influenciando os adolescentes que não são gays.

Acreditamos que em breve, essa classificação entre homossexuais, heterossexuais, bissexuais e outras, terão cada vez menos importância e que os jovens serão cada vez mais livres para encontrarem a expressão de sua afetividade e sexuaidade sem neuras ou culpas ditadas por uma regra heteronormativa.

3) E, ao realizar o filme, foi possível perceber diferenças entre jovens homossexuais e gays mais maduros? Eles estão se descobrindo, se encontrando, em uma sociedade que está cada vez mais aberta a saber que eles existem. Homossexuais mais velhos, ou mais maduros, tiveram que lutar por esse direito ou privá-los do mesmo. Não podemos falar de uma consciência total, mas estes jovens viventes em São Paulo, podem experienciar um outro tipo de realidade e liberdade que muito provavelmente não existia algumas décadas atrás.

E isso de certa forma molda seu comportamento, que de alguma forma vai ser diferente de quem cresceu sem poder se expressar livremente. Acho que ainda não temos certezas concretas, mas podemos sentir um pouco essa diferença. Acho que a exibição do filme e o feedback do público vão nos trazer algumas respostas.

12ª edição do Sarau Caiçara acontece em São Vicente

O 12º Sarau Caiçara acontece neste domingo, das 17h às 19h, no Parque Cultural Vila de São Vicente. Com muita música, literatura e dança, o evento segue celebrando suas raízes e contemporaneidades.

Essa edição conta com a presença da Academia Vicentina de Letras, do escritor Lucas Puntel Carrasco, da bailarina e eutonista Célia Faustino, dos músicos Lua Marina e Ugo Castro Alves (Saramandaia) e de Danilo Nunes (Carrosel de Baco).

Serviço

12º Sarau Caiçara
Quando: domingo, 24 de junho
Onde: Vila de São Vicente – Praça João Pessoa, s/nº
Que horas: das 17h às 19h
Quanto: na faixa

Exposião Imagens do Espírito

O escultor santista Márcio Garrido apresenta sua obra executada com material que algum dia fora útil a alguém, reciclando troncos de madeiras, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Nascido em Santos começou seus trabalhos em 1979 e vem se destacando em suas exposições pela sua originalidade em reutilizar o material encontrado na natureza, transformando os em esculturas lúdicas e ricas em detalhes de entalhamento. Até 31 de maio, das 10 às 18 horas no Parque Cultural Vila de São Vicente. Entrada Franca

III Concurso de Dramaturgia – Prêmio Ronaldo Frutuoso- Inscrições Abertas

As inscrições pra o III Concurso de Dramaturgia – Prêmio Ronaldo Frutuoso começaram nesta quarta-feira (20/04) e vão até dia 20 de junho. A proposta para a próxima Encenação se fundamenta na profecia dos Maias, sobre a grande alteração que o mundo sofrerá em 2012, que pode tanto levar ao início de uma nova era quanto ao fim do mundo.

No ano em que os Maias previram o fim do mundo, a Encenação completa 30 anos. Por conta disto, a Prefeitura de São Vicente, propõe, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), que sejam utilizados personagens centrais das trinta encenações, ou das principais, para compor a narrativa desta edição.

Esta lenda dos Maias foi baseada em seu calendário e é composta por sete profecias. Nessas profecias, eles falam sobre sua visão do presente e do futuro e se fundamentam em conclusões de seus estudos científicos, religiosos e sobre o universo.

Quem se interessou pelo assunto, pode se inscrever da seguinte forma: o concorrente deve ser nascido, naturalizado ou residente no Brasil. Com idade superior ou igual a 18 anos. O conteúdo da peça deve ser direcionado ao público adulto e permitir a montagem com duração entre 60 e 90 minutos. Não é permitida a participação de pessoas que sejam membros da Comissão Organizadora, que sejam servidores públicos e agentes da Prefeitura de São Vicente. Também entram nessa relação os parentes em linha reta dessas pessoas.

Para efetuar a inscrição, é necessário levar pessoalmente ou enviar por correio o material de inscrição a Secult (Rua João Ramalho, 988 – Centro), onde está afixado todo o regulamento do concurso.

O material para inscrição é composto por cinco vias do roteiro, que deve ser digitado em folhas de tamanho A4, numeradas, com fonte do texto sendo Arial, tamanho 12 com entrelinhamento de 1,5 pontos. As cinco vias devem estar encadernadas e acompanhadas de um Cd com a versão digital do projeto. Nenhuma das vias deve conter indícios da autoria do texto, para tanto, o autor deve escolher um psedônimo. Além disso, deve haver um envelope lacrado com a identificação do autor, um breve currículo, endereço completo e outras formas de contato, cópia da carteira de identidade e do CPF; fora deste envelope deve haver apenas o nome do concurso, o título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Todo esse material de inscrição deve ser acondicionado em uma só embalagem. No caso do envio via correio, a remessa deve ser feita por Sedex e a inscrição será assegurada pela data do carimbo postal.

Quanto a escolha, será composta uma Comissão Selecionadora que irá escolher cinco trabalhos que mais se encaixem na proposta e nas regras do concurso. Essa seleção será feita em no máximo 10 dias após o término das inscrições.

Os cinco textos selecionados serão encaminhados para a Comissão Julgadora, que dará um parecer em no máximo 15 dias após a divulgação dos textos selecionados. Esta Comissão levará em conta o caráter artístico do texto. Ambas as Comissões possuem decisão soberana, não cabendo justificativas, contestação, ou recurso judicial sobre o que for decidido.

Lendas Maias. A primeira profecia fala sobre o medo. Segundo o texto, em 22 de dezembro de 2012, a humanidade terá de escolher entre a extinção ou uma nova vida em harmonia com o universo. Nesta data, o sol, que segundo o povo Maia é um ser vivo que respira e que há certo tempo se sincroniza com o universo, receberá uma manifestação de luz do centro da galáxia que o fará brilhar mais intensamente produzindo em sua superfície o que os cientistas chamam de erupções solares. Essas erupções produzirão uma gigantesca labareda, e nesta data, a humanidade deve estar preparada para passar pelo portal deixado pelos Maias para evoluir para um modo de vida mais harmônico.

No segundo texto, a profecia é sobre o que ocorreria após o eclipse solar de 11 de agosto de 1999. Segundo eles, a sombra projetada pela lua durante o eclipse revelaria uma área onde haveria muitos conflitos e guerras. A sombra atravessou toda a Europa e o Oriente Médio. A segunda profecia, afirma ainda que desta data até 2012, cada pessoa seria seu próprio juiz, estaria previsto o início da mudança dos tempos, os valores morais estariam mais frouxos e todas as opções estariam disponíveis, praticamente sem censura, para que cada um se manifestasse livremente como é.

Na terceira previsão, uma grande onda de calor, causada, em parte, pela falta de sincronia do homem com a natureza, provocaria diversas mudanças climática, geológicas e sociais rapidamente, e tudo com muita violência, produzindo diminuição na quantidade de chuvas, provocando ventos mais fortes e aumentando a incidência de furacões e tufões.

A quarta profecia fala sobre o aquecimento do planeta. Essa elevação gradual da temperatura, segundo o texto da previsão, provocaria o derretimento de geleiras causando um aumento do nível dos mares. De acordo com os Maias, essa seria a maneira do planeta “se limpar”, abrindo espaço para o surgimento de novas áreas verdes para repor as que foram devastadas pelo homem.

No quinto presságio, a informação é de que todos os sistemas baseados no medo ou na dependência desapareceriam. Segundo os estudiosos, esse mito pode ser relacionado às recorrentes crises da economia e das fontes de energia e formas de comunicação atuais.

A sexta profecia é sobre os cometas. A lenda diz que nos próximos anos surgirá um cometa que colocará em risco toda a vida na Terra. O perigo eminente nos obrigaria a construir um nível de cooperação mundial, dando origem a um só governo que trabalhe para o bem comum na Terra.

A última previsão, diz que após todas as transformações, os seres humanos que voluntariamente encontrarem seu estado de paz interior receberão um novo sentido, a capacidade de ler o pensamento. Dessa forma, terminará a mentira e começará uma época de transparência e de luz.

Essas profecias devem servir de inspiração para o texto, porém, alguns outros itens são obrigatórios, como adequação ao tema da Fundação da Vila de São Vicente; viabilidade técnica e financeira da peça; cronograma de realização e execução; originalidade – já que o texto deve ser inédito -; descrição objetiva das cenas, sequências, diálogos e indicações técnicas. Deve conter também as seguintes cenas: a primeira eleição das Américas, em qualquer ponto do roteiro; cenas que mostrem São Vicente como sendo a primeira povoação oficial do Brasil e Porto dos escravos e índios; e a fundação da Vila de São Vicente, como última cena.

Quem quiser outras informações pode ligar para os telefones (13) 3467-5781 ou 3468-8636. O regulamento do concurso e a baliza da Encenação estarão disponíveis na tarde de segunda-feira (25/04) no site da Prefeitura: http://www.saovicente.sp.gov.br.

Responsáveis pela Cultura na Baixada Santista

SECULT Santos: Carlos Pinto. Jornalista especializado em Teatro Aplicado à Educação. Delegado Regional de Cultura (83 e 84). Chefe de Gabinete de Oswaldo Justo (84). Presidente do Instituto Cultural das Artes Cênicas em SP e do Fórum Estadual dos Dirigentes Culturais.
Conselho Municipal de Cultura: Guilherme Cruz Costa
Av. Pinheiro Machado, 48 – (13) 3226-8000

SECULT Cubatão: Welington Ribeiro Borges. Historiador e autor de livros. Presidente do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural.
Conselho Municipal de Cultura: Ivan da Conceição
Prefeitura Municipal de Cubatão – (13) 3362-6363
Departamento de Cultura – (13) 3362-0851/3362-0852/3362-0847

SECULT Peruíbe: Ayrton Júnior Soares Almeida. Aluno de Artes Visuais. Produtor cultural, poeta e músico.
Av. Pe.Anchieta, 905 – (13) 3454-1215

SECULT São Vicente: Renato Caruso
Av. Cap. Luiz Pimenta, 811 – (13) 3569-1400 – secult@saovicente.sp.gov.br

SECULT Guarujá: Indefinido
Av. Leomil, 259 – (13) 3384-3027
Av. Dom Pedro I, 350 – (13) 3386-8987 – secla@guaruja.sp.gov.br

Diretoria de Cultura de Mongaguá: Luciana Trizzini Refundini
Av. São Paulo, 3270 – (13) 3448-5832 – cultura@mongagua.sp.gov.br

Secretaria de Educação e Desenvolvimento Cultural de Bertioga: Dulce Regina de Carvalho Ceneviva. Professora escolar.
Diretoria de Educação e Cultura: Raul Lobo
Rua Luiz Pereira de Campos, 901 – (13) 3319-8036

Secretaria de Cultura e Turismo de Praia Grande: Carlos Ananias Lobão. Técnico em Ótica pelo Senac.
Av. Costa e Silva, 1600 – (13) 3496-5704 – sectur6@praiagrande.sp.gov.br

Secretaria de Educação, Cultura e Esportes de Itanhaém: Cilene Forssell. Pedagoga.
Av. Condessa de Vimieiros, 1131 – (13)

 

Encontro Vicentino de Cultura com a presença de Sergio Mamberti

Confira a lista de voluntários selecionados para a Encenação 2011

A Secretaria de Cultura (Secult) divulga a lista dos atores voluntários selecionados para participar da Encenação da Fundação da Vila de São Vicente 2011. dos 2.000 inscritos, 1.100 foram selecionados e vão receber pelo correio a confirmação da presença. Os interessados são, na maioria, moradores de São Vicente, mas também há pessoas de Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Santos e São Paulo.
O secretário da Cultura, Renato Caruso, explica que os voluntários da comunidade irão compor os 15 núcleos do espetáculo, interpretando índios, nobres, degredados, marinheiros, sambaquieiros, anjos e demônios. “Estas pessoas, muitas vezes anônimas, mas que abrilhantam muito e são responsáveis por protagonizarmos o maior espetáculo em areia de praia do mundo, dividirão a arena com atores renomados da televisão brasileira”, ressalta Caruso, lembrando que a autora do roteiro da edição 2011 é Rose diniz e a direção é de Roberto Marchese.
A entrega dos crachás acontece nos dias 17 e 18 de novembro, na Academia de Artes (Rua João Ramalho, 988 – Centro), das 9 às 17 horas. Já a primeira reunião geral está marcada para 19 de novembro no Centro de Convenções Costa da Mata Atlântica (Avenida Capitão Luiz Pimenta, 811 – Parque Bitaru), às 19 horas. Nela será apresentada a equipe artística, de produção e o roteiro para o grande elenco.
Os ensaios serão realizados por núcleos, com encontros gerais em dias específicos. Os ensaios na Praia do Gonzaguinha começam em 13 de janeiro 2011.
Confira a lista aqui

via @amigosdacultura

Tribobó City estréia neste fim de semana em SV

 

O Grupo Experimental de Teatro da UNISANTOS – Gextus – apresenta a comédia musical “Tribobó City”, de Maria Clara Machado, nos próximos dias 13 e 14, às 16h e 18h, no Teatro José de Anchieta – Praça João Pessoa, em São Vicente. A reserva de ingressos deve ser feita pelo telefone 9606-1444, sendo que há o limite de 30 espectadores por sessão.

A comédia, que trata do sequestro de uma jovem dama, por bandidos de um vilarejo do oeste norte-americano, prossegue até o dia 19/dez, sempre aos sábados e domingos.

É realizada em parceria com a Cia. Ohm de Teatro; o Grupo As Três Faces da Lua; o Grupo Taetro de Teatro; a Cia Héterus de Teatro; e com os alunos das Oficinas Culturais “Osvaldo Névola” de São Vicente e da EAC “ Wilson Geraldo”.

Com direção de Maria Tornatore, no elenco estão: Ary Portella, Daniel Meirelis, Caio Marques, João Rivera, Alex Guarany, Liliane São Paulo, Alex Cruz, Lucas Magalhães, Daniela Oliveira, Maryana Roedel, Ariadne Hostins, entre outros. O espetáculo tem censura de 12 anos.

 

Encenação 2011: pré-inscrição para atores voluntários

Os interessados em participar da 29ª edição da Encenação da Fundação da Vila de São Vicente podem fazer as pré-inscrições a partir desta quinta (14/10) até segunda-feira (18/10), no Centro de Convenções (Avenida Capitão Luiz Pimenta, 811, Parque Bitaru). Na quinta, sexta e segunda os cadastros serão feitos das 9 às 17 horas; no sábado e domingo das 13 às 18 horas.

Podem se pré-inscrever crianças a partir dos 12 anos completos até o dia 14 de outubro de 2010. Os jovens de 12 a 16 anos devem apresentar RG ou certidão de nascimento original e estar acompanhado de um responsável legal, também munido de RG ou documento original com foto. Os maiores de 16 anos devem levar o RG.

O produtor executivo do espetáculo, Sérgio Guerreiro, explica que mil pessoas serão escolhidas para participar da edição 2011 do maior espetáculo em areia de praia do mundo. “A inscrição será confirmada após triagem de todos os pré-inscritos. Nesta etapa, selecionaremos aqueles que se encaixam da melhor forma dentro do roteiro do espetáculo”, diz Guerreiro. Os aprovados receberão carta de convocação para participar da primeira reunião, prevista para a primeira quinzena de novembro.

Para o secretário da Cultura, Renato Caruso, a participação da comunidade em todos os processos de realização da Encenação é fundamental. “O povo é convidado a participar desde a escolha do roteiro, por meio do Concurso de Dramaturgia Ronaldo Frutuoso, até a seleção de uma das personagens principais, como Anna Pimentel. Isso dá um peso maior ao espetáculo”.